Notas Técnicas

29 jul: Estudo da WTT discute os potencias de inovação e as fronteiras científicas da Bioeconomia da Amazônia

O estudo realizado pela World-Transforming Technologies apresenta um mapeamento de pesquisas recentes relacionadas a biodiversidade amazônica, dando visibilidade principalmente para aquelas com potencial de aplicações para o desenvolvimento da bioeconomia na região.
Ao analisar as dez instituições de pesquisa, responsáveis por 621 estudos publicados em artigos científicos, entre 2017 e 2021, percebeu-se que os principais insumos da sociobiodiversidade amazônica são: açaí, tucumã, buriti, piper, aniba, castanha do Brasil, andiroba, cupuaçu, lippia, guaraná e bacaba.

Clique aqui para acessar o estudo completo.
https://missaobioeconomia.com.br/#capa

21 jul: Estudo da KPMG explora o potencial de produção de hidrogênio da América Latina

A vantagem em adotar o hidrogênio combustível é devido ao fato dele poder ser produzido por meio da utilização de diferentes fontes de energia e tecnologia em grandes quantidades, favorecendo a descarbonização. Por isso, ele é conhecido como o combustível do futuro. Estudo publicado pela KPMG avaliou como a Argentina, Brasil e Chile estão despontando como os produtores mais baratos de hidrogênio até 2050, e a possibilidade de colaboração para uma estratégia regional integrada.

Clique aqui para acessar o estudo completo.
https://home.kpmg/br/pt/home/insights/2022/06/america-latina-desponta-producao-hidrogenio.html

07 jul: Capital Reset e Future Carbon Group lançam guia explicativo sobre o mercado de carbono

Para além da conscientização, a Capital Reset apoiada pela Future Carbon Group lançou do guia “Tudo que você precisa saber sobre créditos de carbono (e nunca soube como perguntar)”. Com o objetivo de disseminar conhecimento sobre esse mercado e, sobre créditos de carbono em si, tirando as muitas dúvidas que as pessoas costumam ter sobre o tema.

Clique aqui e acesso o guia.
https://materiais.capitalreset.com/guia-reset-de-creditos-de-carbono

07 jul: Em novo relatório McKinsey avaliam a transformação econômica ao zerarmos as emissões de carbono

Em um novo relatório, a consultoria McKinsey, discute o que seria necessário para atingir emissões líquidas zero de gases de efeito estufa. Para isso, foi estimado as mudanças na demanda, gastos de capital e custos e empregos, até 2050, para setores que produzem cerca de 85% das emissões totais e avaliadas as mudanças econômicas para 69 países.

Para acessar o relatório complete clique aqui.
https://www.mckinsey.com/business-functions/sustainability/our-insights/the-net-zero-transition-what-it-would-cost-what-it-could-bring

24 jun: Desenvolve SP lança guia ESG gratuito para micro e pequenas empresas

Para explicar e tornar melhor os negócios de micro e pequenos empreendedores, o Banco do Empreendedor, Desenvolve SP, lançou o Guia ESG para Micro e Pequenas Empresas.

Com o guia, empreendedores poderão aprender os conceitos da agenda ESG, termo em inglês que reúne práticas Ambientais, Sociais e Governança, e como trazer para seu dia a dia novas práticas alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), tema que já tem sido o norteador para investimentos, aquisições, contratações e posicionamentos.

Clique aqui e acesso o guia.
https://www.desenvolvesp.com.br/comunicacao/biblioteca-do-empreendedor/esg-para-micro-e-pequenas-empresas/guia-esg-para-micro-e-pequenas-empresas/

24 jun: Nova edição do SEEG Municípios revela os dez maiores emissores de gases de efeito estufa

Segunda edição do SEEG Municípios (Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa) mapeou as emissões de gases de efeito estufa (GEE) dos 5570 municípios do país, de 2000 até 2019, por cada fonte emissora de cada setor.

Neste estudo, é possível conferir a emissão e ainda verificar quais são os setores emissores: indústria e energia, agropecuária, resíduos e mudança no uso da terra e florestas.Clique aqui e confira o resultado.
https://seeg.eco.br/

24 jun: Relatório da REN21 alerta que poderíamos ter avançado numa recuperação verde durante a pandemia

O think tank REN21 demonstrou em seu relatório anual sobre o setor de energia renovável que houve uma estagnação no consumo global das energias renováveis, sendo registrado na última década um aumento de oito pontos percentuais. Somado ao fato de que com a crise da covid-19 muitos países voltaram usar fontes de combustíveis fósseis.

Clique aqui para acessar o relatório completo.
https://www.ren21.net/wp-content/uploads/2019/05/GSR2021_Full_Report.pdf